More Website Templates @ TemplateMonster.com - March 10, 2014!

Projeto Pedagógico

PRINCÍPIOS PARA UMA EDUCAÇÃO HUMANITÁRIA

A Universo Editora apresenta o documento “Princípios para uma educação humanitária”, que considera
a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei n º 9394/96), os Parâmetros Curriculares Nacionais, os Referenciais Curriculares para a Educação Infantil, a Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos e demais documentos fundamentais para uma educação de qualidade e que sintetiza sua nova proposta pedagógica.

Nesse documento, referenciado como projeto, inserem-se os aspectos necessários para dinamizar a construção do conhecimento, visando à ampliação do saber e o compromisso com a transformação social.

A partir de abordagens distintas das dimensões do conhecimento, o projeto educacional orienta-se por práticas pedagógicas que permitem ao educando desenvolver-se, considerando as solicitações da sociedade contemporânea e, ao mesmo tempo, tornar-se crítico, ético e participativo.

A intenção da Editora, na efetivação das propostas pedagógicas de ensino e aprendizagem, objetiva a formação de cidadãos preocupados com o bem comum da humanidade. Para possibilitar um melhor aproveitamento do projeto, apresenta-se um mapeamento da organização do material didático e seu acompanhamento didáticopedagógico, com a intenção de nortear, mas em nenhum momento limitar a autonomia do professor.

O projeto constituído por três eixos estruturantes, nomeados como “Desenvolvimento Humano”, propõe numa perspectiva interdisciplinar e, também, transdisciplinar, questões consideradas importantes e relevantes nas diferentes dimensões:
• Dimensões lingüístico–textuais, corporais e imagéticas;
• Dimensões lógicas, científicas e ambientais;
• Dimensões culturais, históricas e sociais.

As áreas organizadas a partir dessas dimensões devem ser compreendidas como uma forma pedagógica de trabalhar em profundidade e com especificidade. Além disso, visam contribuir para a ampliação dos horizontes do saber, considerando que o fazer pedagógico deve estar em consonância com a busca do conhecimento.

Em razão de um compromisso social voltado a uma concepção de educação que se consolida com a formação plena do cidadão, essa proposta pedagógica destaca outros dois temas, formados pela “cultura de paz” e o “giro continental”.

Os temas sugeridos para serem abordados de maneira transversal se efetivam acompanhados por
indicações e atividades no caderno de orientações pedagógicas e, desta forma, todos os sujeitos envolvidos podem contribuir para o desenvolvimento dos conteúdos e assuntos, por exemplo, com a discussão de questões sobre a sustentabilidade do planeta, relações dialógicas e igualitárias ou pluralidade cultural.

O conceito de transversalidade, bem como de transdisciplinaridade, surgiu como um princípio teórico do qual decorrem práticas, metodologias, currículos e propostas pedagógicas inovadoras, a partir de ideais de educadores como Celestin Freinet (1896– 1966), John Dewey (1852–1952) e Jean Piaget (1896–1980). Esse momento, em meados do século XX, foi propício para que inúmeros teóricos questionassem e redefinissem o que se entendia por aprendizagem e repensassem também os conteúdos, os quais deveriam ser ensinados aos educandos.

Qualquer processo de mudança na educação não pode deixar de lado as contribuições dos movimentos
de renovação pedagógica, nos anos de 1980, que tiveram como resultante a profissionalização do professor, tornando-se participativo e questionador e, nos dias atuais, um sujeito engajado nas lutas sociais e democráticas, por um ensino de qualidade. Assim, apresenta-se como fato, a necessidade de ampliar os programas de capacitação e de formação em serviço, como resultado da demanda por reconhecimento da categoria e das exigências do mundo contemporâneo.

No fi nal da década de 1990, outros avanços foram incorporados à educação brasileira e possibilitaram
ampliar o entendimento da transversalidade na prática educativa com a apresentação dos Parâmetros Curriculares Nacionais. De acordo com esse documento (BRASIL, 1998, p. 30), pode-se compreender a transversalidade como uma relação entre aprender conhecimentos teoricamente sistematizados (aprender sobre a realidade) e as questões da vida real e de sua transformação (aprender a “realidade da realidade”). Alguns temas, sugeridos pelo documento de 1998, correspondiam a questões urgentes e contundentes na vida cotidiana dos educandos, além de debatidas na sociedade.

De forma consciente e engajada, a necessidade de atualização da discussão sobre as mudanças e os desafios de uma educação brasileira de qualidade para todos serviu de argumento para a Universo Editora e sua equipe pedagógica se debruçarem sobre essa proposta.

Nesse cenário, o projeto pedagógico da Universo Editora prioriza não só os conteúdos previstos na
legislação, mas também aqueles que permitirão aos educandos a construção de uma atitude crítica, colaborativa e pacífica, visando à transformação social, na expectativa de um mundo mais justo e igualitário.